Thursday, June 30, 2011

Edifício inacabado vai ser demolido


In Jornal da Região (29/6/2011)

Wednesday, June 29, 2011

El Corte Inglés e a Linha de Cascais

In Diário Económico (28/6/2011)
EDITORIAL


«O projecto de um centro comercial El Corte Inglés na linha de Cascais, o terceiro em Portugal - depois de Lisboa e Gaia - vai finalmente avançar, após anos e anos a marcar passo. O grupo espanhol anunciou a intenção de investir naquela zona em 2005 e desde então o projecto tem sofrido avanços e recuos, chegando a ser disputado pelas autarquias de Oeiras, Sintra e Cascais.

Depois de várias localizações prováveis, o El Corte Inglés decidiu avançar para um terreno em Carcavelos, no lado sul da auto-estrada do Estoril, junto à povoação do Arneiro. O projecto está para aprovação final na Câmara de Cascais e inclui, além do centro comercial, um hotel e os escritórios da sede do grupo em Portugal. Trata-se de um projecto grandioso, com uma área total de construção de 52 mil metros quadrados, um investimento de 200 milhões de euros e a criação de 2.000 postos de trabalho directos e indirectos.

O projecto nunca foi considerado PIN (Potencial Interesse Nacional) porque o anterior Governo entendeu, em 2007, que a construção de um centro comercial não preenchia os requisitos para beneficiar dessa classificação. Ainda assim, a autarquia de Cascais espera que o projecto do El Corte Inglés tenha um impacte económico e social importante na região.

Ao mesmo tempo, o grupo espanhol ficará obrigado a construir, como contrapartida, um equipamento social ainda a definir. Se as obras arrancarem até ao fim do ano e decorrerem com normalidade, o projecto deverá ser uma realidade no prazo de um ano. Apesar de se tratar de mais um centro comercial, é de saudar o desbloqueamento do El Corte Inglés da Linha de Cascais por se tratar de um investimento privado em período de crise e de uma unidade de qualidade, por certo semelhante à da de São Sebastião da Pedreira, em Lisboa, e que ajudará a desenvolver uma zona interior e com pouca actividade.»

...

Está de volta o mono, que vai fazer daquele nó de Carcavelos o que se imagina. Ainda há a questão do leito de cheias, mas que importa isso face ao "interesse nacional" do projecto?

Monday, June 27, 2011

Wednesday, June 22, 2011

Esqueleto-mono vai ser demolido


O esqueleto do empreendimento que a ser feito seria um mono inqualificável bem no largo da estação de comboios, e de que aqui já deramos conta (http://cidadaniacsc.blogspot.com/2007/12/curiosidades-embargadas-2.html e cuja foto da altura aqui reproduzimos, de autoria de JNB), será demolido.

Assim o diz o Presidente da Câmara de Cascais, citado no Jornal do Metro. A obra estava embargada e o edifício a construir de novo será diferente, suponho, respeitando a escala do largo, volto a supor. Será? Espero que sim.

Thursday, June 16, 2011

Hospital de Sant'Ana classificado com respectiva ZEP



Portaria n.º 584/2011. D.R. n.º 115, Série II de 2011-06-16
Ministério da Cultura - Gabinete do Secretário de Estado da Cultura
Classifica o Hospital de Sant'Ana, situado no concelho de Cascais, distrito de Lisboa, a Casa Júlio Resende, situada no concelho de Gondomar, distrito do Porto, e a Igreja Matriz da Vila de Souselas, situada no concelho e distrito de Coimbra, como monumentos de interesse público e fixa as respectivas zonas especiais de protecção




...

Uma EXCELENTE e oportuna notícia.



Foto

Orçamento Participativo Cascais

Exmos. Senhores


Congratulamo-nos com a iniciativa da Câmara Municipal de Cascais mencionada em epígrafe, e comprometemo-nos a dar o nosso contributo em prol do concelho de Cascais, sempre que possível e na medida das nossas possibilidades e disponibilidade.

Sugerimos a V.Exas., desde já, que também a fase de apresentação de propostas no âmbito do Orçamento Participativo de Cascais seja aberta ao envio das mesmas por via electrónica, e não apenas durante a fase de votação, como parece ser um facto nesta edição inaugural, o que poderá enviesar e reduzir significativamente a participação dos potenciais interessados em participar no OP.

Sem mais, e desejando os maiores sucessos a esta iniciativa, subscrevemo-nos com os melhores cumprimentos


Pelo Cidadania Csc

Paulo Ferrero

Orçamento Participativo de Cascais



...

Mais informações em http://op.cm-cascais.pt/. E mais acrescento que esta é uma boa iniciativa, tão boa quanto a CMC souber aprender com a experiência de Lisboa... Iremos acompanhar este processo com atenção.

Wednesday, June 08, 2011

Buracos e escavações

O centro de Cascais tem sido este ano particularmente causticado pelas obras na via pública, para colocar novos colectores, canalizações, etc. Tem sido longo e penoso. Mas, mais uma vez, se vê tapar e, logo a seguir, destapar e destruir o trabalho feito uma ou duas semanas antes, para uma nova vala ser aberta. Há sítios que vi abrir três vezes em curto intervalo de tempo.
Ninguém tem mão nisto?

Convite-Uma Experiência Única com a Marca Estoril

Thursday, June 02, 2011

Obras na Marginal ...

A extrema incompetência dos responsáveis pela obra de re-pavimentação da Marginal em S.J.Estoril, após a abertura de uma faixa de cerca de 2 palmos de largura para instalar tubos de gás (acho eu), é assustadora. Não entendo como a Câmara ou as Estradas de Portugal, deixem passar esta falta de profissionalismo.
Moro nesta mesma Av Marginal, e até tenho um certo carinho pelos buracos, porque é uma forma bruta de fazer com que os veículos circulem a uma velocidade menor já que os semáforos de velocidade quase não são respeitados :-)

No entanto, esta obra foi paga com o nosso dinheiro, e como cidadãos não podemos permitir que este abuso passe sem a obrigação de repor o estado anterior da estrada.

A primeira foto mostra como ficou a repavimentação 1 semana depois de concluída, depois de um único dia de chuva.
















Os buracos foram tapados, mas de forma tão deficiente (podem-se ver os "remendos a cor mais clara), que nas chuvas seguintes abriu tudo de novo.

Acabaram à poucos dias de re-pavimentar o sentido Cascais-Lisboa, mas a obra ficou tão má ou pior que esta primeira.


Outro problema é que a faixa re-pavimentada ficou cerca de 2cm mais baixa com um degrau para o resto da estrada, o que é um perigo para as bicicletas que agora têm de circular no meio da faixa ou arriscam-se a ficarem pelo chão se o pneu raspar no "degrau".

Cascais faz 647 anos


Wednesday, June 01, 2011