Wednesday, June 11, 2008

Novo parque de estacionamento com 570 lugares em Cascais


In Público (11/6/2008)

«A vila de Cascais conta desde ontem com um novo parque de estacionamento subterrâneo junto à marina, com 570 lugares, e em funcionamento durante 24 horas por dia.
Para se aceder ao novo parque ontem inaugurado pelo presidente da Câmara de Cascais, António Capucho, pode entrar-se pela via junto à Rotunda João Paulo II, perto do Centro Cultural de Cascais, ou pela entrada criada junto ao actual acesso à marina.
Um comunicado da autarquia refere que os lugares de estacionamento foram pensados com dimensões acima da média para evitar toques e portas riscadas. O preço do estacionamento no novo parque, construído em parte do fosso da Cidadela, é de 1,10 euros na primeira hora, acrescidos de um euro na segunda e 80 cêntimos nas horas seguintes.
Os utentes podem ainda optar por avenças de 12 e 24 horas em assinaturas mensais, anuais ou plurianuais.»

Apenas duas coisas:

1. Os arranjos à superfície são uma miséria, completa, dignos de figurar no manual do inestético. Onde param os murais de azulejos? Para que servem aqueles caixotes-monos?

2. O parque é uma boa obra e necessária, essencialmente para a Marina (que, como se sabe, nunca devia ter sido feita ali...), mas encerra 2 contrasensos em si mesmo:

- Não é com parques de estacionamento em plena Cascais que se melhora a mobilidade. Hoje em dia, pensar-se assim é pensar-se atrasado;

- Há que 'varrer' todo o estacionamento abusivo que ainda existe à superfície, a começar junto à Estalagem do Farol, por exemplo.

9 comments:

Anonymous said...

Curioso não pedir investigação para os anos em que a sua patroa foi Presidente da Câmara

Paulo Ferrero said...

Que me lembre, caro(a) anónimo(a), a única coisa polémica do mandato de HR foi a plantação das palmeiras defronte ao Baía. Satisfeito(a)?

Anonymous said...

patroa como e que o anonimo sabe quem foi sua patroa estranho o anonimo se sabe de alguma coisa diga indique-as por favor como este senhor fez...agora porque a outra o fez este ja pode faze-lo? é chamada a lei da compensação

Anonymous said...

Não me interessa absolutamente nada se a Arquitecta Helena Roseta é sua patroa ou não. Agora dizer que a unica questão polémica do seu mandato foi a colocação de palmeiras defronte do Hotel Baía é um branqueamento sem nome que merece resposta.
Provavelmente o Sr. já se esqueceu do Pai do Vento. Aqui foi permitido rebentar com o cabeço da Castelhana, atulhar a ribeira da Amoreira e destruir a quinta do Manuel do Hotel localizada a norte do Parque Palmela. É a Buraca ao pé do Monte-Estoril. Se não conhece aconselho-o vivamente a lá ir ver. Nem as obras de urbanização o empreiteiro concluiu.
Nessa altura ninguém abriu bico a defender a paisagem, a ribeira, os socalcos da quinta, a memória histórica do sitio, etc. etc.
Volto a referir o que já aqui escrevi:
Todos os presidentes que passaram pela Câmara de Cascais desde o 25 de Abril, deixaram atras de si um rasto de destruição e descaracterização do concelho que não pode ser iludido com a costumeira barragem de fumo politico-partidária. Todos, sem excepção, foram coniventes com uma linha dominante de (des)ordenamento urbanistico escondida atrás de pretensos discursos estratégicos. È por isso que pretender reabilitar a Sra. Arqta. Helena Roseta me cheira a esturro. Em fim de carreira calhava-lhe bem o pelouro do urbanismo não?
Nasci no Monte- Estoril e aquilo que fizeram à Quinta do Manuel do Hotel é inominável e deixou-me profundamente triste. Por isso, de cada vez que vierem com a Sra. Arqta. podem contar com a minha firme oposição.

João Fragoso.

Anonymous said...

bom a mim custa-me mais o que fizeram com o hotel nau... o que vão fazer com o hotel atlantico, com o hotel Estoril sol, com o campo da bola,as bombas autorizadas ao lado de escolas na marginal, as lojas centenarias fechadas em cascais e estoril, o que vao fazer com o cruzeiro, com a marelina, com o jardim visconde da luz e a sua WC... com o largo de camoes, com S pedro do estoril...por isso quando me faLAM de presidentes da CMC dão-me nauseas e agora? o que e que fizeram com os cargos no urbanismo??????? ahh senhores arquitectos?

Canelas said...

È completamento falso, na minha perspectiva, o comentário que o dito parque não melhora a mobilidade na vila de Cascais.
Se os visitantes e locais tem uma nova estrutura para estacionar, obviamente que as condições melhoram.
Agora com preços exorbitantes duvido. Vejam o parque no largo da estação, esteve anos ás moscas e continua com taxas reduzidas na ocupação.
Não esquecer que as grandes superfícies comerciais têm estacionamento gratuito!!!
Esta poderia ser uma boa ocasião para “arrumar” o estacionamento na baixa, se proporcionassem condições aos que trabalham, funcionários públicos, policias, serviços e comercio, poderiam (deveriam ser motivado e alguns obrigados a) usar este parque diariamente, deixando disponível os lugares à superfície na vila, para os turistas. Seriam muitas a vantagens para além do impacto visual.
Mas parece que continuam com a boca grande e provavelmente vão continuar com a barriga vazia.
Os gestores de Cascais não mudam sempre a mesma visão curta, influenciados pelos interesses particulares mesmo quando se trata da propriedade e interesse público.

Anonymous said...

Partiho a 100% o que diz João Fragoso :"todos os... que passaram pela Câmara depois do 25 de Abril deixaram atrás de si um rasto de destruição...e (des)ordenamento urbanístico...",acrescentando:
1-A grande destruição de Cascais pela CMC é anterior ao 25 de Abril,começa com a venda do Parque Palmela(anos 50/60)para Hotel Estoril-Sol(meio clandestino,mas dito "de interesse turístico"),aumentando-se muito essa espoliação,agora com o Dr Capucho,com a "revenda" desse mesmo Parque público,para três monstruosas torres(agora 100% de interesse privado),totalizando 45 andares; MAS pior, destruindo a Paisagem de Cascais!
(Esta questão esteve num abaixo-assinado neste blogg,sem qq resultado).
2-Portanto a especulação democrática prossegue e agrava a especulação fascista,em Cascais,com o beneplácito de Sta Helena,de São Judas,de Santo António Capucho e dos seus Santíssimos padroeiros São Teodoro dos Santos,São A.Santo e,se necessário,de São José dos PIN's...
3-Sobre a questão em si,do estacionamento,é um óbvio disparate:hoje na "Europa" tentam-se retirar os automóveis,para fora das cidades,apostando nos transportes públicos...aqui ainda estamos a construir "grutas" para os estacionar lá dentro...
4-Porque numa economia pré-histórica "do betão" , no gastar é que está o ganho...



15-6-08 Lobo Villa

Anonymous said...

Caro Lobo Villa,
Estou inteiramente de acordo consigo.
Quanto à economia pré-histórica leia também os comentários à peça do nosso amigo Paulo Ferrero "No dia que investiguem o Urbanismo da CMC".

Estou certo que tambem concordará comigo.

João Fragoso

Anonymous said...

Caro João Fragoso:
Agradeço a remissão para o comentário do Paulo Ferrero, "No dia em que...",mas como poderá ver já respondi a essa inconcebível questão,e o advogado AA,a seguir, tirou-me as palavras da boca,i.e.,será que esse dia,"No dia em que..." existirá ?
Duvido.A questão está mal posta e é uma provocação inconsequente,que pode "danificar" este blogue.
Cumprimenta

25-6-08 Lobo Villa