Friday, May 07, 2010

Cascais e Sintra desistiram da bandeira azul como protesto

In Público (7/5/2010)
Por Luís Filipe Sebastião

«Região do Tejo terá menos 11 bandeiras do que em 2009. Autoridade hidrográfica diz que falta disponibilidade em Sintra para tratar da costa

As câmaras de Cascais e de Sintra não candidataram quaisquer das suas praias costeiras à bandeira azul, como forma de protesto contra a falta de investimentos da administração central no litoral.

"Não reconhecemos a nenhuma outra entidade maior capacidade ou idoneidade para garantir a qualidade das praias", explica Carlos Carreiras, vice-presidente em Cascais, explicando que o seu município "desistiu da bandeira azul, enquanto o Estado não assumir os seus compromissos e fizer os investimentos necessários para assegurar a qualidade balnear". Carlos Carreiras recusa que o município esteja sujeito à avaliação de uma entidade privada por um conjunto de critérios que não são da sua responsabilidade, como a educação ambiental, qualidade da água e segurança.

"Ao longo de todo o ano, Cascais zela pela limpeza e desinfecção dos seus areais sem qualquer apoio", sublinha ainda a autarquia, num comunicado em que garante que, mesmo sem a bandeira, as praias de Cascais "gozam de uma qualidade invejável e constante e que está longe de se cingir à época balnear" - este ano entre 15 de Maio e 15 de Setembro.

Também a Câmara de Sintra, em comunicado, revela não existirem condições para concorrer à bandeira azul, "enquanto a Administração da Região Hidrográfica (ARH) do Tejo não resolver os graves problemas que se registam ao longo do litoral sintrense, por exemplo a instabilidade das arribas e a reorganização e requalificação dos apoios de praia". E salienta que "está totalmente garantida a qualidade das águas e das areias de todas as praias", que continuarão a ser alvo de análises.

A ARH do Tejo responde que Sintra não entregou os relatórios de actividades nas praias galardoadas em 2009, o que impedia que tivessem a bandeira este ano. Estão em curso estudos para os planos de praia e a ARH quer mais empenho da autarquia.

[...]

3 comments:

Manuel said...

Realmente o artigo não é esclarecedor e não se percebe se o que tem sido feito na faixa costeira tem sido pelos governos e não pela CMC, só se lembram da zona costeira, no interior não fazem nada.
Se é assim o governo tem toda a razão.
Vejam alguns exemplos de como tem sido gasto o dinheiro pela CMC no ultimo ano, só para eleitor ver:
- Quinta de Rana
- Zona Verde nos Jardins de S. Domingos.
- Ajardinamento entre S. Domingos e Rebelva.
Todos estes espaços públicos encontram-se totalmente fechados depois da inauguração realizada pelo Sr. António Capucho uma semana antes das eleições. E foram gastos milhares de euros nestas obras.
Outra obra que é uma vergonha é a norte da Estação de S.Pedro, um desperdício de dinheiro do contribuinte, uma autêntica provocação aos moradores e pessoas que se deslocam na zona.
O empreiteiro faz da via publica um autêntico estaleiro, estão 9 quarteirões isolados, e na maior parte das vias abrem buracos fecham as estradas e depois passam para outro sem dar qualquer alternativa.
Cortam estradas para fazer estacionamentos, fazem os passeios e a via publica não tem o minimo de condições para os carros passarem, apertam as estradas com grandes passeios onde depois um autocarro não consegue passar. É uma vergonha andarmos a contribuir para isto.
A Policia Municipal e a fiscalização nada fazem para por fim a esta pouca-vergonha.
O dinheiro que estão a gastar nesta obra de certeza que dava para arranjar muitas estradas por todo o concelho e que estão cheias de buracos.
Tenham vergonha, querem é mais dinheiro para gastar mal gasto.

Anonymous said...

Parabens pelo comentário.
Estão a "jogar areia para os olhos" com falsas questões, è uma estratégia politica brilhante e manhosa.

Anonymous said...

De acordo com o comentário. O concelho está ao abandono.