Wednesday, September 03, 2014

Largo Cidade de Vitória - Desleixo.

O piso do Largo Cidade de Vitória está cada dia que passa em adiantado estado de destruição.
Hoje ao passar por lá, mais uma das milhares de vezes que por ali passo, não resisti e tirei mais umas fotos que demonstram o total abandono, desleixo pela manutenção do piso daquele Largo, por onde milhares de pessoas passam diáriamente ou semanalmente.
Recordo a inauguração Pomposa com entidades da vida pública, no tempo do presidente António Capucho.
Escolha errada do material, empreiteiro, etc...
Voltando ao dia de hoje, observei que um Policia Municipal, embora estivesse a poucos metros do local, estava mais preocupado em multar do que verificar as condições de segurânça dos peões que por ali passam. Uma criança tropeçou e caiu. Não se aleijou.
Pergunto: Para quando uma intervenção para repor em condições o piso, onde 90% das lajes estão degradadas?
Será que das verbas gastas em tantas festas, festivais e coisas mais, não sobra nada para a reparação Urbana?
Onde anda a tal Cascais Próxima - Mobilidade? Proválvelmente preocupada em multar condutores em infração ao código de estrada, (quando a própria Cascais Próxima disponibiliza espaços em total infração ao referido código).
Este meu desagrado vai ser enviado para a caixa de correio electónico do sr.Presidente da CMC. Qual será a resposta?????

9 comments:

Anonymous said...

Vai escrever ao ditador? Quero dizer Presidente da Câmara? Cuidado que ainda vai preso ou apanha uma multa, não pela carta, mas ele vai arranjar qualquer coisa (e não estou a brinca, já tem acontecido). Desde há alguns anos que se julga o poder surpremo, incriticavel, perfeito.

Anonymous said...

Caro Anónimo, vou aguarsar calmamente a resposta do dito.
Se calhar vamos ficar na mesma... Pôrra...
Fernando Boaventura

J.N.Barbosa said...

Desde o príncípio que se via que o pavimento não ia durar. Tudo muito frágil e a iluminação no solo, já se sabe, é a primeira a pifar. Recordo-me que uma semana após a inauguração já se estava a partir o pavimento para reparar qualquer coisa.
Faz-me lembrar o paredão cujo novo pavimento não durou três anos.

Anonymous said...

“Na requalificação do Largo Cidade Vitória, em Cascais, a superfície de chão desempenha um papel gerador que, através de uma regra axial de marcação predominante, absorve as variações altimétricas presentes e cria momentos articulados, com diferentes espacialidades e predisposições funcionais. O chão é tomado enquanto elemento sólido, tridimensional, que cria a topografia da praca; os elementos que emergem acima da cota de referência surgem como extensões da mesma materialidade; as depressões são lidas como negativos de matéria, como ausências que deixam revelar o substrato não transformado.” (Memória descritiva do projecto).

O texto rebuscado e pretensioso põe a nu a atitude do projectista perante a realidade: Ele não está a reflectir sobre um problema concreto está a jogar o jogo das aparências que os seus pares tanto apreciam.

Quando a obra foi inaugurada, e as criticas já se faziam notar, alguém sentiu a necessidade de vir ao Cidadania CSC defender a qualidade do projecto. Na ocasião escrevi:
“Ao anónimo que faz referência às obras do Largo Cidade de Victória apenas pergunto: Já experimentou passar algum tempo no largo depois das obras concluídas? Já reparou no calor que emana daquelas espessas lajes de pedra autênticos acumuladores de calor? Já reparou no perigo que representam as caleiras de escoamento de águas pluviais, aliás em claro desrespeito pelo Decreto Lei 163/2006 que tem tem por objecto garantir as condições de acessibilidade nos espaços públicos? Já reparou no elevadíssimo custo da obra em face do resultado final? Já reparou que o que lá estava era muito aceitável e só precisava de pequenas correcções, arrumação e reparação nada justificando gastos tão significativos. Já reparou que a "brancura" daquele pavimento de pedra ainda só tem meia dúzia de dias e já apresenta fissuras e manchas a demonstrar que não irá aguentar muito tempo sem ficar completamente partido e conspurcado? Já imaginou como irão ficar os "bancos" de pedra quando os skaters tomarem conta do largo?, o que indicia que o projectista esteve mais preocupado com formalismos estéticos do que com a procura de soluções que acautelem o vandalismo urbano. Já reparou como irá ficar o largo quando, como é costume, for necessário mexer nas redes de infra-estruturas? Já se informou acerca do custo final das obras depois de meses de atraso devido ao “desconhecimento” do traçado das redes de infraestruturas que atravessam o largo? Pois é meu caro: se só reparou nas árvores e não reparou no que acabo de lhe referir ou anda muito desatento ou não lhe sai do bolso o dinheiro com que a Câmara paga estas obras.”

Infelizmente o resultado está á vista. E, desta vez, a culpa não é do Carreiras.
JFragoso

Da Serra said...

Aquele pavomento foi ideia e obra do Capucho mais pequeno, o que, creio, aibnda se encontra a trabalhar na Câmara.
Uma boa merda, graças a deus!

fmsbb@sapo.pt said...

Seja de quem for a culpa, O actual Presidente da CMC tem por obrigação, através dos seus vereadores, preservar os espaços públicos. HOJE, mais uma vez, alguem tropeçou e desta vez aleijou-se. O Sr, Presidente ainda não respondeu ao e-mail que lhe enviei. Deve estar ocupado com as festividades do próximo fim de semana.
Aquele Largo foi mal "parido". Desculpem a linguagem.

Julio Amorim said...

O que se vê nas imagens é fruto de:
- assentamento defeituoso....
- espessura não suficiente...
....e provavelmente a ajuda de popós !?

O giro disto é que pertencemos a um país com tradições milenares no uso da pedra para pavimentos. Continuamos a envergonhar os nossos antepassados....

Anonymous said...

Porque retiraram os posts de dia 10 e 11 de setembro?

Anonymous said...

Caro anonimo sobre os posts do dia 10 e 11.
Fui eu, o autor, sem querer.
Peço desculpa mas já não posso recuperá-los.
Fernando Boaventura