Tuesday, February 17, 2009

Pestana ganha a Cidadela de Cascais

In Público (17/2/2009)
Luís Filipe Sebastião

«O júri do concurso público para a recuperação e exploração turística da Cidadela de Cascais propôs a adjudicação do negócio ao único concorrente que se apresentou, o grupo Pestana. A exploração do espaço, caso as obras arranquem até ao final deste ano, deverá iniciar-se dois anos depois, no termo de 2011.
Segundo adiantou ao PÚBLICO uma fonte da Câmara de Cascais, o júri do concurso público para a concessão da Cidadela reuniu-se ontem à tarde e decidiu propor ao conselho de administração da empresa municipal Fortaleza de Cascais a adjudicação ao único concorrente, o grupo que explora as pousadas da Enatur.

A proposta, com projecto de Gonçalo Byrne e David Sinclair, prevê a construção de um hotel com 127 quartos, aproveitando o pano de muralhas virado ao mar e à marina, e a adaptação de vários edifícios da Praça de Armas para espaços de restauração, comércio e actividades culturais.

A proposta do grupo Pestana optou pelo prazo de concessão mais longo, de 70 anos, pelo que deverá pagar uma contrapartida de 2,8 milhões de euros aos ministérios das Finanças e da Defesa. O investimento global ronda os 20,5 milhões de euros, muito acima do mínimo de oito milhões previsto no caderno de encargos. A renda anual fixa será de 285 mil euros, acrescida de uma verba variável de dois por cento da facturação bruta, a pagar a partir de 2016. O grupo Pestana anunciou recentemente que o projecto para Cascais se insere "na linha da nova geração de pousadas".
A par do aproveitamento turístico e cultural do antigo recinto militar, a Presidência da República também já lançou o projecto para a reabilitação do palácio da Cidadela, que inclui um museu das ordens honoríficas, e a recuperação dos antigos aposentos reais.

Pestana diz que aposta em unidades com "projectos arquitectónicos marcantes e sobretudo com dimensão" »

Nada tenho contra o Grupo Pestana que é dos poucos a ter bom gosto e não ser muito agressivo para com o património e a envolvente. A minha dúvida é só em termos de projectista. Onde param as imagens virtuais do projecto?

2 comments:

pescador da baía de cascais said...

Feito à medida! Triste resolução e magra compensação, Cascais merecia melhor e a Cidadela também.
A CMC decidiu a quem entregar a cidadela de Cascais para a sua recuperação o concurso teve um unico participante o Grupo Pestana.
Quem leu o caderno de encargo de imediato se apercebeu de que era quase impossivel encontrar a viabilidade. Os condicionamentos economicos, e outros eram assustadores, mas o que mais surpreendeu foi a "modernidade" ou "contemporanedade" expressa que rápidamente afastou interessados. Estou convencido que esta infantilidade vem da cabeça de jovens arquitectos, que colecionam a revista "wallpaper", bem vísivel nas suas salas de estar, de forma a mostrarem que são bem modernaços, e muito à frente. Com medo, quase pânico de serem confundidos com sabe lá o quê! Aliás a expressão bem ao estilo de uma empresa de móveis "na linha da nova geração de pousadas", pois claro agora dormimos e vivemos todos de forma diferente!? Referencia bem ao estilo do dogma marxista de que a "habitação é uma máquina de habitar" como disse Corbusier no século passado.

Isto leva-me a pensar que esta gente, estes jovens decisores não só tem pouca cultura como aquela que recebem não sabem digerir, continuam agarrados ao passado é triste ver estes arquitectos tradicionalistas e conservadores. A isto chama-se provincianismo.
Grupo Pestana é uma referência sem dúvida. Terá qualidade indescutivel, agora Gonçalo Byrne depois da proposta do novo Estoril Sol.
Pena não ser apresentado ou exigido um concurso de ideias a unica forma de compreender o verdadeiro potencial do conjunto Cidadela+Marina, primeiro deve-se viabilizar economicamente caso contrario de nada serve, este tipo de conjunto pode ser dinâmico e dar "lucro", e lucro neste caso e dinamizar e dar emprego local esta é a maior necessidade de Cascais. Em Portugal continuamos a impôr modelos antiquados e esgotados, enfim mais uma oportunidade perdida. É pena!

Anonymous said...

LOBO VILLA ,24-2-09
O anterior Pescador da Baía de Cascais está coberto de razão em tudo e até quanto á nova maneira de chamar " arquitectura" a estes novos e monstruosos enchumaços á Byrne que destróiem os nossos espaços públicos.
De facto dede a destruição da Baixa de Coimbra até ás satânicas e surrealistas Torres Soviéticas do Estoril-sol,o Sr Arq. Byrne apostou em tornar-se "Inimigo-Nº1-do-Espaço-Público" e conseguiu-o !
Aqui na Cidadela/Pestana/CMC confirmou-o.
Quanto aos "modernaços" que fala,nada tem a ver com Le Corbusier,que era um homem culto,um SENHOR!(nem com a "máquina de habitar",antes tivesse !) Tem a ver sim com a ignorância Socratina em vigor.
A Modernidade é coisa que não existe em Cascais,autocráticamente dirigida pela caquético-partidária CMC,ora PS ora PSD.
Falta a Modernidade !
Tem razão:devia ter havido um "Concurso de Idéias" para a Cidadela !
Mas os autarcas estilo Judas/Capuchos/Isaltinos odeiam as idéias e as modernidades,que não controlam...odeiam os concursos de idéias !
Para acabar,os arquitectos (eu sou um deles),estão submissos,como no tempo do fascismo e a Ordem,simplesmente não existe...