Monday, August 25, 2008

Eh pá, que azar!


Não sei se já repararam nisto.
A A5 tem uma extensão de 25 Km, e vai desde Cascais até ao Viaduto Duarte Pacheco.
As portagens estão localizadas no Estoril (Km 19), em Carcavelos (km 14) e em Oeiras (km 11).
Quem entrar em Cascais e sair em Linda-a-Velha, por exemplo, paga EUR 1,15 e percorre 20 km.
Quem entrar em Cascais e sair em Monsanto, por exemplo, paga EUR 1,15 e percorre 23 km.
Quem entrar em Cascais e for até ao fim, paga EUR 1,15 e percorre os 25 km.
Quem entrar em Carcavelos e sair em Oeiras, paga EUR 0,50 e percorre 3 km.
Quem entrar em Carcavelos e sair em Montanto paga EUR 0,50 e percorre 7 km.
Quem entrar em Oeiras e sair em Queijas, paga EUR 0,30 e percorre 3 km.
Quem entrar em Oeiras e for até ao fim, paga EUR EUR 0,30 e percorre 11 km.
Quem entrar em Queijas e sair em Linda-a-Velha, paga EUR o,00 e percorre 3 km.
Quem entrar em Queijas e for até ao fim, paga EUR 0,00 e percorre 8 km.

Estas são algumas constatações possíveis.
Daqui resulta que apenas 10 dos 25 km da A5 são pagos.
Os 3 km entre Carcavelos e Oeiras são os mais caros de todos os 25 km (custam EUR 0,20).
Há 8 km de auto-estrada, entre Queijas e o Viaduto Duarte Pacheco que são totalmente de graça.
Então, quem é que paga a auto-estrada?
Quem vive no concelho de Cascais.
Eh pá, que azar!

7 comments:

Anonymous said...

Tem razão caro Ricardo, a questão é que a primeira parte da auto-estrada Lisboa Cascais, foi a construida entre o Estádio Nacional e o Viaduto Duarte Pacheco. Este "bocado" de auto-estrada nunca teve portagens, sendo por isso de graça. Com a construção do resto da auto-estrada este dito "bocado" continuo sem ser sujeito a portagens, portanto a diferença de preços vem desta borla entre o Estádio e o Viaduto.

Joe Bernard said...

E andam eles à procura de ladrões de Bancos e ourivesarias, quando os ladrões da Brisa estão à vista de todos...
E impunes!!!

Lucilia Brito de Bastos said...

Já alguem interpelou a Brisa sobre este assunto?
Tem de haver uma razao técnica forte e lógica para que a Brisa tenha optado por este modelo.
Ao contrário do que alguns podem pensar o mundo não está todo errado.

Ricardo S. Reis dos Santos said...

sim, é possível que haja "uma razão técnica forte e lógica para que a Brisa tenha optado por este modelo". Mas seja ele qual for, a constatação é crua: há uns a pagarem para os outros. E aqui os "uns" são quem vive em cascais e uma parte de quem vive em oeiras. Seja qual for a lógica, o corolário deste modelo será sempre de discriminação.

Anonymous said...

mas a senhora brito de bastos acha tudo muito bem...

Anonymous said...

A senhora Brito de Bastos deve ter muitas acções da Brisa...

Tiago Marques said...

e eu que tenho jipe pago o dobro