Monday, June 18, 2007

Carta recebida por email:

«Com o advento do Campeonato do Mundo de Vela, a Praia da Ribeira (vulgo praia do peixe ou dos pescadores) sofreu uma intervenção, com inicio no dia 15 de Junho e fim no dia seguinte, que deixou muita gente de "boca aberta".

Esta intervenção, (para além da vedação da área por motivos de segurânça) foi a substituição das grades junto ás escadas de acesso á praia por um muro em pedra idêntico ao já existente) que veio embelezar e, bem, aquele espaço.

Até aqui nada de desagrado, antes pelo contrário!

O que tem espantado as gentes que durante anos se habituaram a ver o CARTAZ INFORMATIVO "PRAIA DE APOIO AOS PESCADORES - ÁGUA IMPRÓPRIA PARA BANHOS" tenha sido retirado de um dia para o outro.

Será que por um milagre da natureza as águas da praia da ribeira deixaram de ser IMPRÓPRIAS PARA BANHOS (foto 1) só porque agora faz parte integrante do espaço reservado para os velejadores do campeonato?


Será que os velejadores, seus acompanhantes e colaboradores, que têm que ir para dentro de água já não devem recear a qualidade da água desta praia? Porque razão foi retirado? Dava mau aspecto? Ou... houve mesmo um milagre? Já agora, e para quem não saiba onde pára o dito cartaz, o mesmo está no parque por trás do Museu do Mar entalado entre dois barcos ali arrumados (foto 2).


E por falar neste parque...! Porque razão foi escolhido este lugar para a colocação de toda a porcaria retirada da muralha de apoio aos pescadores? Os moradores da área envolvente têm que "gramar" os cheiros pestilentos, moscas, ratos e outros bicharocos?

Não sabendo se este meu desabafo será publicado por parte de quem gere este Blog sobre Cascais, agradeço na mesma.

Não sou nascido em Cascais mas vivo nesta bela vila há 35 anos.

Mais uma vez grato pela atenção,
Cumprimentos
Fernando Boaventura
»

1 comment:

Joe Bernard said...

Parabéns pelo que escreveu.
Tem carradas de razão.
Agora eu sugeri ao "dono" do blogue o tema "Caminho pedonal entre a Guia e o Guincho" (mais uma anedota desta terra...) mas esqueceram-se, decerto...