Thursday, September 06, 2007

Unidade de Oncologia fecha em Cascais

In Diário de Notícias (6/9/2007)
DIANA MENDES

«A unidade de oncologia médica do Hospital de Cascais está em vias de ser encerrada. O presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT), António Branco, disse ao DN que a oncologia vai integrar o hospital, mas "sem um serviço específico". A este encerramento, em conjunto com a unidade de infecciologia, vão seguir-se outros, estando em estudo casos como Loures ou Vila Franca de Xira.

Joaquim Gouveia, o coordenador nacional para as doenças oncológicas, admite a possibilidade de a reestruturação da rede de referenciação de oncologia conduzir a outros encerramentos. Porém, "serão sempre a excepção e não a regra", prevendo-se o fecho de um número reduzido.

António Branco afirmou que todo este processo de avaliação terá em conta "o nível de diferenciação em oncologia que cada hospital deve ter" e que, no caso de Cascais, "a unidade extravasa a sua dimensão. Não pode haver ali uma unidade do género". Os casos novos que surgem rondam "os vem. Por isso terá de referenciar". Já Helena Oliveira, coordenadora da consulta de decisão terapêutica do hospital, refere "350 a 400 casos novos por ano, o que gera preocupação quanto à assistência das pessoas".

A partir de agora, "a primeira abordagem do cancro será feita na mesma em Cascais, bem como o tratamento de casos urgentes". Casos novos e tratamentos posteriores ao diagnóstico vão competir "a outros hospitais, como o IPO de Oeiras [caso se concretize] ou aos hospitais São Francisco Xavier ou Egas Moniz".

Joaquim Gouveia lembra que o hospital nem faz parte da rede de referenciação publicada em Diário da República em 2002: "Este hospital nem deveria ter unidade oncológica. Há vários hospitais que tratam sem estarem integrados na rede", afirma.

É esse o caso de Cascais, mas também de Loures, um dos casos que estão a ser ponderados pela ARS-LVT. Só na região de Lisboa, António Branco admitiu estarem a ser revistos "seis ou sete serviços". O hospital de Vila Franca de Xira é um dos estudados e que, a seu tempo, terá alterações. O encerramento é uma probabilidade, "embora este hospital esteja uns furos acima de Cascais e tenha uma dimensão maior". Além disso, o responsável recorda que "49% dos doentes de oncologia do hospital já vêem tratar-se a Lisboa". (...)»

6 comments:

Anonymous said...

Só desejo a este senhor António Branco e aos seus patrões um cancro daqueles muito maus... dos que fazem sofrer muito, como cagar (desculpem o termo) pela boca...e que o dito cancro cumpra o seu dever!!! Mas muuuuito lentamente!!!

Jose Tomaz Mello Breyner said...

É pena que a UNICA unidade de saude do País em que os doentes são tratados como seres humanos seja encerrada. O Dr Mauricio Chumbo e a sua equipa são um exemplo de como devem ser prestados serviços de saúde neste país. Naquela unidade, e falo por várias experiencias próprias, os doentes, e os seus problemas estão sempre em primeiro lugar sejam eles quem forem. Eu fui tratado de 2 cancros em Inglaterra em hospitais privados, mas meu Pai foi tratado pela equipa do Dr Mauricio Chumbo em Cascais. Posso dizer com conhecimento de causa que o tratamento em Cascais foi tão bom ou melhor do que os que eu tive em Inglaterra, sobretudo na parte humana. Naquela unidade um doente não é um numero mas sim um ser humano. E tudo isto se deve a uma pessoa de seu nome Mauricio Chumbo a quem presto aqui homenagem, e que penso deve ser uma figura que incomoda os seus pares, pois ele é daqueles que quando veste a bata não pensa que é Deus, antes pelo contrário, desce á terra e trata-nos com carinho. Em vez de se aproveitar estes exemplos enaltecendo-os, fecha-se-lhes as unidades.

José Tomaz de Mello Breyner

Fernando Boaventura said...

Hoje, ao falar com amigos, tomei conhecimento que existe uma petição contra o encerramento. Já assinei e sei de muita gente que o fez. Como podemos colocar esta petição na Web? As coisas boas e humanas estão neste país cada vez mais a desaparecer. Disseram-me que o encerramento foi decidido porque "alguem" se esqueceu de colocar o Serviço de Oncologia no caderno de encargos do novo hospital de Cascais. Quem disse tem conhecimento de causa.
A classe política (toda ela) devia ter mais atenção.

Paulo Ferrero said...

Não fazia ideia da existência de qualquer petição sobre o assunto. Se alguém souber quem são os autores e/ou de que modo podemos aceder ao texto da mesma digitalizado, avise, para que o coloquemos online. Esse fecho é escandaloso, e é preciso corrigir a situação, rapidamente.

E é altamente patético: o novo hospital é hoje tão somente algo virtual, que não está senão no papel, e, por outro lado, o Estado pretende acabar com o IPO da Pç. Espanha. Patético e criminoso, mas isso sou eu que acho, claro.

paulofarense said...

Antes demais parabéns pela dinâmica e qualidade do vosso blogue. sempre importante que os movimentos de cidadania possuam visibilidade mediática e tenham uma voz interactiva própria e com a força que as suas convicções tendencialmente justas arrastam. Sou jornalista e produtor de eventos e tendo conhecimento do caso "oncologia cascais" atraves de uma amiga que frequenta o serviço, estou também a dar um especial "enfoque" à questão. Já coloquei o vosso blogue nos links da minha pagina em blogues de referência. Continuem a ser uma voz activa e dinâmica
atentamente
paulo correia

www.paulofarense.blogspot.com

Anonymous said...

olá.estou também contra o encerramento da oncologia em cascais,o que acho indecente,tantos milhões gastos em porcarias e mais uns quantos não havia para curar pessoas?!quanto ao dr.Mauricio Chumbo como médico é do melhor(se não fosse ele tinha ficado sem avô muito antes do que fiquei) e como pessoa é um orgulho dizer que é meu padrinho apesar do pouco contacto.