Tuesday, July 15, 2008

Futuro Hospital em Exposição

In Imprensa Cascais (8/7/2008)

«No CascaiShopping a partir de 8 de Julho | 12H00–

A partir de dia 8 de Julho, vai ser possível antecipar toda a informação relativa ao futuro Hospital Dr. José de Almeida. Fruto de um esforço conjunto entre a Câmara Municipal de Cascais, Sonae Sierra, Ministério da Saúde e Grupo HPP – Saúde, a maquete e os painéis informativos sobre o futuro Hospital de Cascais estarão em exposição no primeiro piso do Cascaishopping.

Enquanto decorrem as obras de construção do novo hospital de Cascais, a população que visita o Centro Comercial pode antecipar não só como será o futuro edifício, mas também toda a informação relativa ao mesmo, nomeadamente, especialidades médicas, equipamento e previsões de atendimento.

Com conclusão prevista para o início de 2010, o novo hospital integra-se na lógica de parceria público-privada e significa um investimento de 387 milhões de euros, dos quais 100 milhões de euros serão canalizados para a construção. Prevê-se que o novo equipamento venha a prestar um serviço anual de 235.000 consultas, 98.000 diárias de internamento e 10.800 cirurgias a uma população de 285.000 habitantes dos concelhos de Cascais e Sintra.

Concretizadas estão já as acessibilidades ao hospital, numa intervenção assumida pela Câmara Municipal de Cascais, que para tanto investiu cerca de oito milhões de euros.

Mediante proposta da Câmara Municipal, que mereceu o acolhimento por parte da Senhora Ministra da Saúde após parecer favorável da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo e do Centro Hospitalar de Cascais, o patrono do novo Hospital será José de Almeida, insigne personalidade médica que se destacou no campo da solidariedade e beneficência.

No âmbito da Política de Responsabilidade Corporativa da Sonae Sierra, o CascaiShopping proporcionará desta forma à população da sua área de influência, ou seja, aos futuros utentes do Hospital, a possibilidade de ver in loco a maquete do futuro Hospital de Cascais.
»

1 comment:

Bolineiro said...

Quando aqui se fala em "acessibilidades", devem estar a referir-se às acessibilidades viárias.
Que são importantes, claro.
Eu quero ver é se, depois, as acessibilidade não-viárias, as que permitem a pessoas com mobilidade condicionada, serão acauteladas. Isto inclui todo o espaço público e ligação ao edificado (vidé a miséria de soluções arquitectónicas no C. Saúde da Parede - Ext. Tires - Cabeço de Mouro), os estacionamentos e acessos ao mesmos, a distância desses lugares reservados a elevadores e ao hall de atendimento; as casas-de-banho (em nº e respeito pelas normas construtivas), a alturas dos telefones públicos, dos balcões de atendimento, etc...Enfim, o respeito, tanto pelos cidadãos, como pelo Decreto-Lei 163/2006!

Eu vou estar estar lá para ver, vistoriar e reivindicar os meus direitos, podem ter a certezinha absoluta!