Monday, January 19, 2009

Nova farmácia em Cascais

Está em fase de acabamentos a nova farmácia/clinica do sr. Cordeiro. Pertence ao grupo de farmácias Portuguesas (sem querer fazer publicidade). Não está em causa o gosto ou não da nova arquitectura do edificio. Gostos não se discutem e eu pessoalmente até gosto que haja inovação. o que não entendo é o que aquele edificio tem de comum com os edificios envolventes. Traça modernista junto da traça antiga, propensa a que dentro em breve aquela zona seja algo que nada tem a vêr com a vila de Cascais. Alguém que se lembre de comprar o Jonh Bull, Palmeiras etc, e construir algo idêntico ao que está no outro lado da rua!
Para quem ainda não viu o novo espaço aqui estão duas fotos:

O PDM foi alterado de propósito, ou não foi necessário, para esta construção?


26 comments:

Ana said...

Como munícipe residente em Cascais desde que nasci (quase 50 anos) fiquei incrédula quando neste fim de semana me desloquei de propósito ao Centro para ver a Farmácia.

Como é possível aprovarem tal coisa? Na zona nobre da Vila onde felizmente as recuperações, mesmo modernas, têm respeitado alguma da traça da Vila.

É muito feio! Como desabafo - não tenciono ser cliente!

Paulo Ferrero said...

Não é muito feio, é uma MONSTRUSIDADE! Só possível, a meu ver, pelo escandaloso poder de lobby que têm as farmácias neste país (que dizer dos projectinhos de alterações ao abrigo de programas comunitários, que dizer disso?), sendo no caso presente quem é. Não entendo como é possível a CMC dizer que pugna pelo regresso do 'cachet' a Cascais, ao conceito de vila piscatória, ao turismo de qualidade, ao centro histórico mais isto e aquilo e depois, zás, este MONSTRO! É inadmissível!!!!!!!

Anonymous said...

O edifício é pavoroso, alguém que chame aquilo de "arquitetura" deve ter a mesma cabeça de bacalhau que os que aprovaram tal obra!

A única solução talvez seja uma ampla campanha de BOICOTE ao local. Incentivar aos moradores de cascais a NÃO COMPRAR, sob nenhum pretesto neste local.

Nada como o poder dos cifrões!

Esta campanha devia estender-se também ao Cascais Villa, outro monstrengo que ainda respira!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

Fernando Boaventura said...

Ao Anonymous das 4:25 PM:
Apenas tentei alertar para o facto.
não creio que tenha que ser ofendido neste blogue ou em qualquer outra parte. Respeite para ser respeitado e já agora assuma-se e diga quem é para poder indicar-lhe um restaurante onde possa comer "cabeça de bacalhau".

Anonymous said...

O blogguista Paulo Ferrero provavelmente viaja pelo mundo e fica embevecido com a qualidade da arquitectura e a diversidade do espaço urbano que por lá vê. No entanto, quando pensa (!!) sobre Cascais é acossado pela recorrente nostalgia da Vila Piscatória e do antigo glamour da corte. Até aqui tudo bem. Há cada vez mais gente acabada de chegar a Cascais a deslumbrar-se com a ideia de ser o rei da vila. Ainda ontem falei com um que se dizia duque…Paciência para ele que o mundo está aberto a todas as opções estéticas e politicas o que torna tão legítima a atitude passadista e inamovível como a liberdade de erguer um edifício com uma linguagem contemporânea e desempoeirada.
O que já não é de todo aceitável é a mistura de alhos com bugalhos quando somos confrontados com aquilo que não gostamos ou discordamos. A falta de argumentos para manter a discussão no plano da arquitectura ou da política urbanística leva-o para o campo da calúnia e da insinuação. Mistura as farmácias com o lobby dos projectinhos comunitários e deixa no ar a subserviência da CMC perante o promotor do empreendimento. ISSO SIM É INADMISSIVEL. E INTOLERÁVEL.

Fosse eu o promotor do empreendimento ou o presidente da Câmara ou demonstrava a validade dos seus argumentos ou a brincadeira de mau gosto ia sair-lhe muito cara.



Disso não tenha a menor dúvida.

Anonymous said...

Não tenho duvidas que para muitos passantes, residentes ou outros que conheçam minimamente a zona, vão ficar, como eu, chocados com este imóvel de desproporcional dimensão.

Quando li a inscrição colocada durante a obra “nós acreditamos em Cascais” não podia antever tal monstruosidade.
Afinal o tempo do verbo estava errado, deveriam ter inscrito “nós acreditávamos em Cascais ”, sem duvida que a responsabilidade é de quem aprova, neste caso o Sr. Capucho, ou ainda o Judas tem as costas largas???

Caramba já nem nos blogues podemos falar/escrever?
Aqui em Cascais temos que escrever como anónimos porque vem logo alguém ameaçar… tanta ingenuidade e interesse, ou pensam que qualquer de vocês conseguia aprovar este mono do sec. XXI á entrada da Rua Direita?

Não esquecer que o Sr. e a associação em causa, patrocinaram a última campanha Viver Cascais!!! Sim , Sim.
Em Cascais não há Obamas, só abanas (as mãos).

Este ano há mais…. Autárquicas!

Anonymous said...

Infelizmente em Portugal a movimentação é maciça sempre que os pareceres e as opiniões são
negativas, temos um dom natural para contestar o que é feito sem na maior parte das vezes nos
questionarmos sobre as soluções para as nossas queixas.

Mais uma vez isto sucede no caso do novo edifício da Farmácia Cordeiro, que felizmente vem
contrariar a falta de qualidade que a febre dos "shoppings" veio trazer ao comércio tradicional.

Felizmente este projecto traz uma lufada de ar fresco ao centro da nossa vila, que nos faz
acreditar na sua revitalização e na sua recuperação aos olhos dos Cascaenses.

Quem teve que "engolir" o Cascais Villa à entrada da nossa Cascais deve ter no novo edifício da
Farmácia Cordeiro um exemplo a seguir em que desde que tenha qualidade um projecto pode primar
pela diferença e pela originalidade. Decerto que os visitantes que por lá passarem vão parar, vão olhar, e vão guardar na sua memória selectiva este edifício e esta Farmácia, ao nível das melhores que se fazem em qualquer país europeu.

António Almeida

Anonymous said...

Cascais está de Parabens por ter um edificio com linhas modernas bem integradas no centro de Cascais. Penso que e este tipo de investimentos que o nosso querido centro nessecita para subreviver a febre dos grandes shopings. Era bom termos mais espaços destes pela rua direita. Em vez de termos lojas fechadas ou lojas Chinesas. Parabens e um orgulho ver edificios desta qualidade.
José Pereira da Silva

Anonymous said...

Eu também gostava que me permitissem construir com a mesma tipologia e dimensão.

Tenho um imovel no Largo de Camões caso é foi-me, de todo, impossibilitado de estravassar a tipologia e demais caracteristicas arquitétonicas quando entreguei projecto na CMC.

Sinto-me discriminado, mas de consciência tranquila.

Escrevo anonimo porque aguardo ainda licença de utilização. Compreendem?

Um municipe.

Anonymous said...

Cascais está de parabéns com esta obra moderna e de qualidade, que é o que faz falta na vila, onde não se tem construido com um mínimo de qualidade.
Os novos tempos têm que ser acompanhados também na arquitectura.
Está de parabens também a família Cordeiro ao aceitar este desafio.
O grande pintor que foi Van Gog, ao que consta, em vida só vendeu, e parece que mal, um único quadro!
Carlos Faustino

teresa said...

Acho que o edificio não tem nada a ver com o local onde se insere. Porque não deixar a parte histórica e antiga da vila com o mesmo género de tipologia e ir construir estas "modernices" nas zonas novas. Como estas já são tão feias e incaracterísticas,
"mamarracho" a mais ou menos já
não destoa.

Anonymous said...

Infelizmente o nosso concelho continua cheio de velhos do Restelo que não tiveram coragem de arriscar e conhecer o que de melhor se faz ao nível das intervenções de recuperação das grandes cidades históricas da Europa. Provavelmente ainda pensam que respeitar o passado é fazer janelas de 50 por 50 depois de o betão armado ter sido descoberto à 100 anos... Haja coragem para intervir conscientemente na urbe, rasgar com preconceitos com projectos de qualidade arquitectónica cuja integração deriva duma simplicidade de linhas geométricas que neutralizam a sua presença evidenciando todas as preexistências envolventes. Fazer arquitectura pastiche para integrar urbanisticamente numa perspectiva de senso comum de combinação de cores de roupa mais parece querer construir em cascais as casinhas do Portugal dos pequeninos. Abram a vossa mente e comprem chapéus dos Gama porque por este andar de crise e critica certamente o desinteresse em intervir nos centros históricos virá ao de cima. Um negócio só é bom se todos estiverem satisfeitos com o mesmo.A retro - atractividade do investimento numa mera atitude de replicar o existente tem sido o "ratax" para quem infelizmente ao querer investir em áreas históricas cegamente protegidas se vê amarrado a preconceitos que ninguém questiona e assume como verdade absoluta. Agradar a todos só seria possível se existisse apenas uma só pessoa.....
João Abreu

Anonymous said...

"Well!... Came to Cascais"!!
A terra dos faz de contas onde tudo "parece" Bemmm.

Tenho uma opinião muito particular sobre esta nossa Querida Vila!
É que (olhem para trás) sem tirar nem pôr, continua a ser governada na mesmissima "moeda" com que era antes desta nova era deste frade da ordem de S. Francisco;
penitente austero, solitário.

Hà-que perguntar:
Quantas Cartolas existem por aí, prontas a nos darem (entre palmadinhas e apertos de Mão de Braço inteiro) estes verdadeiros Mamarrachos, que mais não são que «A OBRA» dos "mestres" em Gestão Autárquica!?!?
Por agora fico-me com esta entre outras questões... Mas aguardo Verdadeiramente pela "nova" "Nova Era" que se avizinha!!

«Vamos a isto»!!

Anonymous said...

Já mudei de opinião quanto ao CCB que custou um ror de dinheiro e afinal até se revelou um "mamarracho" útil e interessante para os de Lisboa e arredores , no que toca à cultura etc. agora que ali ao lado dos Jerónimos não tá com nada, isso ninguém me tira da cabeça... defendo inovação sim e modernidade e mesmo ousadia no que toca à nova arquitectura mas acho que primeiro está a integração na paisagem urbanística pré-existente. Chamem-me pré-histórico mas é isso que sinto. A identidade arquitectónica de um alocalidade pode muito bem ser uma mistura de retro/charmed com umas pinceladas de audácia mas continuo a preferir algo de mais homogéneo e uniforme no estilo. Acho que podiam ter construído uma "pharmacia" mas agora que já está antes seja algo de minimamente original a uma banalidade qualquer...

Cascalense said...

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

BOICOTE À NOVA FARMÁCIA!

Viva a Máfia das Farmácias Portuguesas

Medonho parece um BUNKER.

Jorge Costa said...

Caros Bloguistas
quando passei pela primeira vez pelo Edificio Piano,dei a volta e fui ver outra vez o que era!
tenho que confessar como passo ali todos os dias cada vez gosto mais!
já me aconteceu o mesmo com o CCB,com as Amoreiras,com oCentro Ponpidou ,com a Geode (Paris),com o Gugenheim etc
de facto já não consigo ver ali o edificio que lá estava um verdadeiro mamarracho!
de facto vivi 2 anos em Paris e viajo para fora todos os meses e habituei-me a ver conviver o antigo com o moderno!
Parabens Senhor Arquitecto pois não quis copiar mais uma casinha "à portuguesa"
Jorge Costa

Fernando Duarte said...

Acho boa ideia ,essa do Edificio Piano!de facto Cascais precisa de continuar a modernizar-se com uma música agradável e com obras que façam a diferença!
Parabens mas é a quem pode investir na modernização de Cascais!!nestes tempos de crise e desemprego venham bons projectos e promotores para dar emprego e esperança aos nossos jovens municipes.
Fernando Duarte

Maria Pereira said...

Criticar é sempre o acto mais fácil e acessível!
Destruír é sempre o acto mais fácil e exequível num abrir e fechar de olhos! Construir !!! isso é que já outra música...
Veja-se como, passados seis séculos, ainda podemos contar com "Velhos do Restelo" e de Cascais .... Se essas formas estagnadas de ver o futuro se tivessem mantido ainda hoje viajávamos de caravela (que ousadia!), a cavalo, de carroça, mantinhamos as paredes de adobe, os tijolos secos ao sol e eu sei lá mais o quê!!!

Uma coisa é certa e válida e não morre com o passar dos séculos: é a coragem de construir, de investir, de criar soluções, de criar empregos, de proporcionar o bem estar, ...

Parabéns a quem teve a coragem de investir na remodelação de um edifício que teve, sem dúvida, a sua época e valeu seguramente pelo mérito de quem, em tempos, o criou!
Parabéns ao(s) arquitecto(s) que teve (-iveram) a capacidade criativa para "gerar" a solução ora existente!
Parabéns à Vila de Cascais por ter dado um passo em frente para ulpassar a fase das casinhas!

Parabéns, Parábéns, Parabéns! e que o processo de modernização da vila continue com esta qualidade e empreendorismo.
Maria Pereira

Anonymous said...

Claro... quando quis abrir uma janela nova na minha casa (que se encontra numa zona característica, tal como esta farmácia) foi-me recusado porque alterava o espaço dominante. O mesmo quando quis subir um muro.
Se uma janela ou um muro "alteram o espaço dominante" o que dizer de todo um edifício moderno numa zona turística clássica ?!?!
Uns são inimigos os outros enteados?
Manuel VP

Ana said...

De facto assim parece... Li os vossos comentários, fui lá no fim de semana e agora com a mudança de sentido de algumas vias na nossa vila, passo ali diariamente e não posso concordar que ali tenha sido construído este edificio.

Cascais tem de perservar a sua traça pelo menos na zona nobre e central. Não acho que isso seja contra a modernidade e à evolução!

Por muito "refrescante" que este edíficio possa ser e de louvar o empreendorismo, não devia ter sido autorizado ali. O próprio Dr.Cordeiro ao reabilitar o edíficio em frente onde está o Espaço Cordeiro teve isso em conta.

Se todos puderem agir e construir assim o que teremos? Nice? Marbella? Torremolinos? Albufeira? Armação de Pera?

Continuo a ter muita pena que ele ali esteja.

Paulo Ferrero said...

Cara Ana,
É claro que Cascais está em vias de ser a Brandoa dos patos bravos, e a parte histórica de Cascais (a pouca que existe) é apenas 'para inglês ver'. Lutamos contra uma poderosa maré. Ao menos isso.
Volte sempre!
Paulo Ferrero

Anonymous said...

Caros, Paulo, Ana, anonymos como eu que aqui vêm... Enquanto Politicos como os que nos "governam" (sejam os da A.R. ou os autarcas, etc) , forem pura e simplesmente "protegidos" de terem que em Praça Publica (entenda-se Assembleias Camarárias, etc) Demonstrar e Justificar as razões que os levam a negligenciar Prencipios Estécticos Vigentes (hà que Ler os PDMs, e as suas respectivas Alterações!!!... nomeadamente o Porquê dessas Alterações!?... a quem Beneficiam?!?... Porque se fazem?!?!... com que Apoios?!?...) enquanto assim for, podem ter a certeza, que o risco para um qualquer defunto que se lembre de ressuscitar passados uns meros 4 aninhos após a sua partida, em morrer de Ataque Cardíaco, é Imenso!!!...
Não sou contra a Nova Farmácia, como é Óbvio!
Nem tão pouco contra essa espécie de Farmacomáfia que faz o que quer, utilizando o seu Poder bem acenado... (fazem aliás, coitados pela Vida, como qq empresário que investe e espera ver frutos do seu investimento...). Sou sim contra (e Votarei em Consciencia com este fito!) a falta de Sentido Estéctico demonstrado por este executivo camarário, que se se quer mostrar audaz, deveria apostar numa Carreira algures lá para as Áfricas!... ou arredores...
Qual Brandoa ou Cacem... Cascais está a Ficar complectamente descaracterizada!!!
Se estão (ilusóriamente!) convencidos do contrário, porque não(num País com tantos Arquitectos de ReNome até internacional!) procurar a Sábia Opinião de Profissionais Independentes (=sem interesses particulares com a CMC), como até uma Opinião da própria Ordem dos Arquitectos!?!?
Eu percebo que hà que ser arrojado, mas por favor, Popem lá a nossa querida vila de Cascais a esse Arrojo sem dó nem Piedade, dos Patos-Bravos e seus comparças das "CamarasMunicipales"!!!...
Os Cascalenses não o merecem!

De olho nos Patos Bravos said...

Onde está a COMPATIBILIDADE com o espaço envolvente?

"Só temos consciência do belo quando conhecemos o feio". Lao Tzu

António said...

Eu gosto do edíficio, dá um ar de modernidade à Baixa de cascais, marca um época.

ZÉ said...

Eu não gosto do edíficio, dá um ar de novo-rico deslumbrado que marca o momento de caos económico-financeiro em que OS SENHORES nós levaram.

Calma O MONO cairá de podre.

Teresa said...

Código de Barras ou Edificio Piano = Nova Farmácia Cordeiro

Crematório = Museu Paula Rego.

Podemos ter muitos defeitos mas imaginação não nos falta. Estes já são os nomes pelos quais são conhecidos os dois edificios mais polémicos de Cascais. Tenho que concordar que as "alcunhas" estão muito bem postas