Thursday, March 15, 2007

Sai um mamarracho, entra um triplo mamarracho!


Demolição vai ocorrer de forma faseada. Hotel Estoril Sol começa a desaparecer na próxima semana

In Público/Lusa (15/3/2007)

«Os andares mais altos do hotel Estoril Sol, à entrada de Cascais, vão começar a ser demolidos na próxima semana, enquanto o resto do edifício será deitado abaixo com maquinaria pesada até Setembro. (...) Cada piso demorará dez dias a ser demolido, acrescentou. (...) "A implosão causava 120 toneladas de entulho que para retirar iria sobrecarregar muito o trânsito", sustentou.

Novo empreendimento arranca no final do ano

Entre Novembro e no final do ano, deverá começar a construção de um empreendimento, da autoria do arquitecto Gonçalo Byrne, que deverá demorar dois anos a ser construído. O empreendimento inclui um edifício de habitação, comércio e serviços de 15 pisos, com três torres de vidro ligadas.
»

7 comments:

Joe Bernard said...

Há coisas que não entendo...
Então ficou tudo muito ofendido com a possibilidade de se construir uma torre na Marina, e agora tudo cruza os braços com o triplo mamarracho que pretendem construir no parque Palmela???
Devo ser muito burro, mas não consigo perceber.

John le Doe said...

Confesso que com esta o Gonçalo Byrne me desconcertou. Não lhe conheço obra tão má desde a Pantera Cor-de Rosa (Chelas, Zona N?, 1972?) e nesse caso a culpa não foi sua, ter-se-á dividido entre o Tó e a conjuntura.

Deixei de compreender também toda a argumentação em torno da demolição do Estoril-Sol - a favor e contra.

John le Doe said...

Estou curioso para ver se o Pedro Partidário me reconhece na fotografia. [Tive tanto cuidado na escolha e tinha logo de encontrar pessoas desse tempo tão especial]

Pedro Partidário said...

...discordo de esta ser uma má obra do Arqº Byrne, independentemente de ter alguns aspectos que, para mim, não são de somenos, e que me levam a levantar algumas questões sobre a proposta.

O conceito de "mamarracho" é que não me parece aplicável aqui.

[john: 1) embora ache que um blogue é uma conversa informal, e eu-cidadão-arquitecto seja o mesmo eu-colega-amigo-e-etc., prefiro que te dirijas directamente a mim pelo meu mail (no meu pefil) quando o assunto fôr: nós-colegas-amigos-e-etc.. (mas achei piada ao estilo do "encontro"!!!). 2) deve ser por causa da tese que estou a acabar mas... os meus "olhos" já não estão a ver "bem" e, com blazer e gravata não te reconheci. O "nome" "John le doe" também não ajuda...].

João Paulo Silva said...

Bem, não sou arquitecto nem nada que se pareça, mas estava à espera deste desfecho para a torre!

Acho que era uma lufada de ar fresco! Uma construção esteticamente brilhante e só viria enriquecer Cascais! Mas, como bons portugueses que somos, vivemos eternamente presos ao fado e ao passado!

A mesma coisa com os "mamarrachos" que vão fazer no antigo estoril sol! Acho bem bonitos! Talvez fosse possível fazer melhor, como sempre o é! Agora que estes são giros, são! São modernos, e prevê uma maior ligação ao Parque Palmela!

Em quantas cidades lindissímas da Europa se vê estas misturas!? O problema não é o tamanho nem o tipo de construção, é saber enquadrar as coisas! Aliás, na minha opinião é isso que faz um GRANDE arquitecto. Enquadrar duas construções idênticas até um merceeiro faz! Por exemplo, o Cascais Vila é bem mais pequeno que qualquer um dos "mamarrachos" em causa, e é infinitamente mais feio e desenquadrado.

O bom gosto é independente da dimensão!

via said...

hoje passei pela aberração! como é possível fazerem uma ponte de betão e vidro cobrindo parcialmente a marginal???

Zoom said...

Não moro em Cascais. Passei por lá ontem e não vi nenhum problema com o novo edifício. Faz algum contraste, mas não choca, nem está mal implantado. Pelo contrário, ao longo da marginal, desde lisboa vi muitos edifícios baixinhos bem foleiros, cheios de marquises, reboco encardido, cuecas estendidas no varal, e não vejo blogs a comentar isso.