Tuesday, April 03, 2007

A foto do DN:


Esclarecimento da jornalista Paula Sanchez, do DN:

«A foto publicada é do Arquivo DN e, tanto quanto sei, foi tirada aquando da apresentação do projecto do Estoril Sol, pelos promotores. Presumo que também seja a foto final do projecto»

Portanto, as fotos diferem muito pouco entre si, pelo que a petição é para manter!

2 comments:

Pedro Partidário said...

Por razões do foro deontológico (nobres, que subscrevo e com as quais concordo integralmente), sendo arquitecto [e portanto cidadão - perspectiva que já expliquei] não subscreverei a petição contra este projecto. No entanto não abdicarei do direito de participar com grande reserva no debate, que (sabia-o há muito e desde logo o afirmei) estava inquinado à partida.
O debate que deveria ter-se estabelecido em torno desta intervenção poderia suscitar crescimento cultural e cívico. Nestas condições tal não ocorrerá. Este (mau) episódio será mais uma boa oportunidade desperdiçada numa terra de oportunidades desperdiçadas por oportunismo, servilismo e pobreza (miséria disfarçada).

...mas neste momento, acresce às razões que me afastam deste processo uma outra de menor nobreza: a infeliz constatação de tudo o que subjaz nesta "polémica" sobre as "verdadeiras" imagens do projecto com arquitectos a fazerem "manobras de diversão" sobre o assunto. Confesso-me surpreendido.

Dreambuild said...

Bora todos pela mediocridade.!!
Assim vamos cantando e rindo...
Pela pátria marchar…

Por sorte, ao aniquilar final do património arquitectónico e símbolo máximo da marginal nos seus tempos de esplendor, se substitui por outra peça de enorme valor na requalificação desta área.

Amigos da marginal?

Coisa mesquinha, pindérica, medíocre do tipo: estética do regime.

Vocês são do tipo: Se o mandarmos abaixo somos os seus melhores amigos.
Foi com esta atitude medíocre que se cometeu mais um atentado em prol da estética dominante e massificadora própria de morangos e floribelas, borregos de opinião.

Já ouviram falar de património cultural ?

É mais ou menos isto:
Estamos habituados a ter um mamarracho em nossa casa. Um tareco que pouca gente gosta mas, como sempre lá o tivemos, preferimos ter porque tem valor estimativo, a nossa vida nunca será a mesma se o deitarmos para o lixo. - É património individual.

Se essa memória fizer parte de um colectivo de pessoas, então é património colectivo ou cultural, mesmo quando esse tareco não vale nada.

Não era o caso do Estoril Sol projecto erudito representativo da melhor arquitectura feita na época.

Convosco nem as catedrais góticas chegavam aos nossos tempos.
Nunca seriam construídas e se tal acontecesse sobreviveriam poucos anos para contar história.