Saturday, July 28, 2007

Cascais

Meus amigos...
desculpem esta ausência , muito prolongada, tenho lido os diversos posts deste nosso blog... de Cascais , claro, e não posso de deixar de salientar que estou triste. Desculpem não triste...mas antes admirado que só se fale de arquitectura ( monos e menos monos não vem ao caso).
As aventuras e desventuras de Cascais têm mais episódios...querem ver...
venham passear pelo paredão ao fim de semana á tarde e vejam se conseguem passar incolumes por este vosso passeio, nas ruas evitem os buracos, os vendedores ambulantes, os eventos milionarios que não conseguem criar empregos... vitalidade empresarial... rios de dinheiro gasto em prol da visibilidade internacional desta nossa vila ... para depois os visitantes « internacionais» pisarem cócós dos cães na rua e serem chateados pelos vendedores ambulantes ás dezenas nas nossas ruas, os transportes deficientes em Cascais, a falta de informação rodoviaria em Cascais, a deficiente e caótica informação turistica, a falta de coordenação de eventos em Cascais, as obras inacabadas ( a esquadra, o hotel Nau esse para demorar visto estarem a preparar uma estrutura que aposto vai albergar publicidade), a A5 repleta de obras sem liberar portagens, tiraram o autocarro que ia para o aeroporto e ninguem se apercebeu...e ja agora a própia Portela nem ninguem se questionou se nos afecta????, o jardim Visconde da Luz não tinha de ter baloiços ????? foi dado a CMC para isso ou não????, a praia do peixe com o milagre do tratamento das aguas... ja se toma banho, a falta de capacidade de atracção de investimento, etc...
Mas pelo menos temos a relva verdinha e a fachada do mercado pintada pena ser só a fachada porque se virarmos a esquina....

e.f.

2 comments:

Pedro Partidário said...

Caro Eduardo,
ainda bem que volta! e ...logo com tantos e tão pertinentes questões!

Pela minha parte notei a sua crítica ao excesso de "conversa" sobre arquitectura... tenha paciência. Não é menosprezo pelos outros assuntos (que não podem ser menosprezáveis como é evidente)... é um facto, é que os "monos" e os "não-monos" são um dos lados mais visíveis da materialização das cidades e (pelos vistos) mais motivadores de debate.
Mas, cá por mim, subescrevo integralmente todas as perguntas que faz no seu post.

Cumprimentos.

Pedro Partidário said...

...e, Eduardo, para além da "chatice" da Arquitectura, veja bem: uma "nova" parceira (a Maria Amorim Morais) abriu aqui novas frentes de leitura, muito, muito ricas!