Wednesday, May 09, 2007

Cascais DESAPARECENDO




Pelos vistos, os proprietários não são(!!) legalmente obrigados a fazerem obras periódicas de manutenção dos seus edifícios.
Aposto que já devem estar a circular (formalmente e informalmente) imensos argumentos de "bom senso" que justificarão a inviabilidade desta casa ("casa de S. Francisco", Marginal, Estoril) e, com ela, a sua demolição.
...talvez, com a abertura do novo centro de saúde em S. João do Estoril, o edifício do Centro de Saúde, vizinho desta casa, venha - com ela - a ser "sensatamente" demolido, e substituído por um novo hotel (à escala do vizinho Sana e ainda mais modernaço, assim como os da Marginal do Funchal e etc..).

É pena. Esta Casa é - muito provavelmente - a MELHOR peça de Arquitectura representante do Modernismo, situada na Marginal entre a Parede e Cascais. No mínimo, é uma das melhores peças de Arquitectura (em absoluto) nesta zona.

2 comments:

Paulo Ferrero said...

Tem toda a razão. Aos anos que ando a ver essa casa a vir por aí abaixo ... é uma vergonha este estado de coisas. Só o lucro conta, para o que contribui, de forma evidente no quetoca a estas moradias, a crise económica, social (eu diria até, familiar), que se abateu sobre a maior parte dos proprietários das mesmas, há cerca de 25-30 anos. Uma pena, uma pena.

Aproveito a «deixa» para protestar (mais uma vez, claro, que outra coisa não sei fazer) contra a forma parola como tornaram feios os hotéis Paris, Cibra e Londres, por exemplo. Todos pintados da mesma maneira, todos com os caixilhos de alumínio "à maneira", e o Paris até se dá ao luxo de mudar o «lettering» e o alpendre da entrada. Um mimo

Pedro Partidário said...

A lei, ou mais precisamente, aqueles artigos que não são (discretamente) cumpridos e feitos cumprir (ou são injustificadamente revogados) continha mecanismos suficientes para a preservação da paisagem cultural urbana... a POBREZA cívica e cultural alidas à usura provinciana, são as únicas justificações.