Monday, January 22, 2007

Esclarecimentos do Dr.António Capucho:

Aqui ficam alguns esclarecimentos sobre os temas solicitados, aos quais o Dr. António Capucho acrescentou o IC30:

«1. Hospital de Cascais

Após se terem apresentado a concurso 4 consórcios interessados nesta parceria com o Estado, foram seleccionados dois finalistas, que estão em negociação com o Ministério da Saúde. O Ministro informou-me que prevê seleccionar o vencedor em Fevereiro.

A adjudicação pressupõe que o parceiro privado assume desde logo a gestão do actual Hospital e inicia a construção do novo equipamento (em Alcabideche junto ao nó da A5/IC30), pelo que tudo indica que a inauguração poderá ocorrer em 2009.

Entretanto, em Fevereiro iniciam-se as obras das acessibilidades viárias e de água, electricidade e gás (a cargo da Câmara e que importam em perto de € 7 milhões).

Quanto às três extensões dos Centros de Saúde previstos para o Concelho, o de S. João foi já entregue ao Ministério, que prevê abrir ao público este trimestre. No dia 22 entregamos o de Alcabideche e no mês de Março o de S. Domingos de Rana. Esta nova rede de Centros de Saúde representa um investimento de cerca de € 13 milhões, dos quais € 4,5 milhões a cargo da Câmara. Para além de proporcionarem excelentes condições de trabalho e de atendimento, vão alargar significativamente o leque de valências proporcionadas aos doentes, assim atenuando a pressão sobre a Urgência do Hospital.

2. El Corte Inglês

Confirma-se a pretensão do "El Corte Inglês" instalar uma loja em Cascais ou nos concelhos limítrofes, preferencialmente perto da fronteira connosco, sendo certo que nada formalizaram junto da Câmara Municipal de Cascais. Fomos em tempos sondados indirectamente no sentido de se instalarem nalgumas zonas urbanizadas (Praça de Touros ou Quinta dos Ingleses), mas receberam a nossa recusa liminar face, designadamente, ao constrangimento viário e impacto negativo sobre o comércio de proximidade.

Estamos, porém, abertos a estudar a implantação do interior em zonas com boas acessibilidades e sem a proximidade de comércio tradicional. Sabemos de diligências que estão a desenvolver na procura de eventuais terrenos disponíveis.
Não deixaremos de considerar que, a não se instalarem em Cascais, iríamos provavelmente sofrer impactos negativos em matéria de acessibilidades, sem os benefícios inerentes, como sejam a abertura de muitos postos de trabalho.

3. Nó de Cascais da A5

Da responsabilidade da BRISA tem um desenho que lhe permite o prolongamento para a Areia (em perfil que não está previsto ser mantido em auto-estrada).

Este prolongamento, que esteve orçamentado pelas "Estradas de Portugal", está previsto no Plano Rodoviário Nacional, isto é, trata-se de uma estrada nacional e não municipal.

A Câmara Municipal de Cascais, em sintonia com os moradores e as associações de defesa do ambiente, obteve das "Estradas de Portugal" a desorçamentação da estrada e o aproveitamento da verba para a passagem inferior na Marginal de S. João do Estoril (entre o restaurante "Choupana e o Forte de S. António), que permitirá o encerramento da última passagem de nível ferroviária do concelho.

Entretanto, na dúvida se a suspensão do prolongamento da A5 obtinha ganho de causa, foi elaborado um projecto alternativo denominado "Via Saloia", com muito menor impacto (1x1 com ciclovia anexa e passeios laterais arborizados). De qualquer modo, a concretização desta obra está fora das intenções da Câmara e foi colocada fora das prioridades.

4. IC30

A Câmara Municipal tomou conhecimento do traçado do IC30 dentro do Concelho de Cascais, desde a frente do Autódromo, passando junto ao Shopping de Cascais, até à rotunda de Alcabideche e entroncando com a A5. No interior do Concelho não haverá portagem.

Este projecto não é apoiado pela Câmara. A actual maioria, foi clara junto dos eleitores no programa de candidatura, onde se considera que "nas circunstâncias actuais iria provocar uma transferência incomportável para o nosso concelho de muito trânsito oriundo de Sintra e com destino a Oeiras e Lisboa". Bem mais urgente seria o Governo desenvolver a alternativa à EN 249-4 que liga o nó de Carcavelos da A5 à Abóbada e Trajouce, com prolongamento para o Concelho de Sintra, hoje quase intransitável!

Perante a persistência do Governo, estamos a trabalhar com a concessionária e as "Estradas de Portugal" no sentido de assegurar a melhor implantação possível e a minimizar os impactos (por exemplo, melhores e mais ligações nos entroncamentos, recusa de isolamento das povoações do Cabreiro e do Bairro da Cruz Vermelha).

Em sede de estudo de impacto ambiental, a Câmara não deixará de exercer as suas prerrogativas e a apelar ao apoio da sociedade civil se as exigências perfeitamente razoáveis que apresentamos não tiverem eco. Mas nada indicia que um acordo correcto não venha a ser alcançado em breve.

Com os melhores cumprimentos,
António d' Orey Capucho
(Presidente da Câmara Municipal de Cascais)
»

6 comments:

Pedro Partidário said...

...e o desnivelamento da passagem de nível em S. João vai nascer de um plano de pormenor da zona (concursado ou dado), ou...

Pedro Partidário said...

E...não sem que antes agradeça com sinceridade os (seguramente simpáticos) esclarecimentos do Sr. Presidente, pergunto-me: Eles foram motivados porquê? Deduz-se que um ou vários cidadãos (moderadores do blog) solicitaram essas esclarecimentos. Foi assim?

Cidadania Cascais said...

Caro Pedro Partidário

O Dr.Capucho foi convidado a participar no Cidadania Csc, porque este blogue será tudo menos faccioso, e porque o Presidente da CMC é, acima de tudo, cascalense.

Aceitou participar e, pessoalmente, acho a sua participação um acto democrático, e uma autêntica pedrada no charco, se compararmos Cascais com outros concelhos... E aceitou participar desta maneira, respondendo, na medida do possível, às questões que lhe forem colocadas.

E aqui tem a explicação, que é simples.

Abraço e volte sempre
Paulo Ferrero

Pedro Partidário said...

Caro Paulo Ferrero, ficam desde já as minhas felicitações tanto ao convite como, evidentemente, à participação muitíssimo significativa do Sr. Presidente! (e notei com especial agrado o facto de nos terem sido dados esclarecimentos para além das questões colocadas - o ponto relativo ao IC30).

...a minha pergunta não tinha mesmo nada na manga! Como o caro PF tem o cuidado de, quando transcreve notícias, referir a proveniência, fiquei curioso sobre a fonte deste esclarecimento. Surpreendeu-me porque esta postura é, como diz, uma pedrada no charco quando comparada com outros concelhos e outros protagonistas (e outros blogues).
Pela minha parte, faço nota especial desta postura do Sr. Presidente.

O meu aplauso e agradecimento.

António said...

Sr. Presidente

Informo V. Exª da necessidade de arborizar e ajardinar os baldios da Quinta dos Gafanhotos.
Bairro com mais de 60 crianças, sem qualquer jardim ou parque de jogos.
As crianças jogam à bola na via pública.
Há terrenos com fartura para ajardinar, não existe qualquer sombra de árvores, não existe um único banco onde os idosos se possam sentar.

Certo de que V. Exª mandará alguém averiguar desta triste realidade e resolverá a bom tento.

Bem haja

mariahenriques said...

ó capucho,vá mas é defender a substituição da sua chefe . http://bit.ly/b2pIj7