Tuesday, October 02, 2007

Concurso para nova sede da AMI em Carcavelos

In Público (2/10/2007)
Luís Filipe Sebastião

«A futura sede da Assistência Médica Internacional (AMI) vai ser construída em Carcavelos. Para Fernando Nobre, presidente da instituição, trata-se de uma obra "para os próximos 25 anos", cujo projecto será escolhido através de um concurso público lançado ontem em Cascais.

As novas instalações da AMI, a construir na zona de São Miguel das Encostas, compreendem a sede e uma creche/infantário, para meia centena de crianças, que Fernando Nobre sublinha ir ao encontro da "componente social da AMI, para os seus funcionários e aberta à população". O edifício, com seis pisos em cave e outros três à superfície, terá estacionamento para uma centena de viaturas e visa responder às dificuldades de espaço da actual sede na zona de Marvila, em Lisboa.

O projecto será escolhido através de concurso público promovido em colaboração com a Câmara de Cascais e a Ordem dos Arquitectos. Está prevista a atribuição de cinco prémios pecuniários: 15 mil euros (1.º classificado), dez mil (2.º), 7500 (3.º), cinco mil (4.º) e 3750 (5.º). O valor global do investimento, segundo Fernando Nobre, ronda os 7,5 milhões de euros, a suportar pela AMI. Por isso, o espaço em Marvila deve ser vendido, mas ainda não está afastada a possibilidade de ali criar um centro social para juntar aos 13 já existentes no país.

O presidente da Câmara de Cascais, António Capucho, salienta a importância do trabalho da AMI - com 45 missões no estrangeiro -, que já possui um centro social na Torre, e considera ser "uma honra" receber a sede da instituição. João Afonso, secretário-geral da Ordem dos Arquitectos, realça que o concurso, além dos prémios, possui o atractivo de se destinar a escolher "um projecto para construir" e que a instituição ainda "não sabe quem vai ser o autor, mas vai poder escolher o melhor" que concorrer. A obra deve ficar pronta em 2009, a tempo dos 25 anos da AMI.»

1 comment:

Pedro Partidário said...

Boas práticas.
Um exemplo que é muito raro acontecer nos dias que correm. Todos ganharão.