Thursday, October 18, 2007


Exmos. Senhores da Direcção Geral dos Recursos Florestais,

Junto envio em anexo minha carta (o original seguirá amanhã por correio) pedido a vossa urgente intervenção para salvaguardar o pulmão verde do Monte-Estoril, que está neste momento a ser destruído.

Com os melhores cumprimentos,

Vasco d’Andrade
----------------------------------


URGENTE
ASSUNTO: CLASSIFICAÇÃO DE PARQUE MONTROSE COMO INTERESSE PÚBLICO

Exmos. Senhores,

Venho por este meio solicitar a vossa urgente intervenção no sentido de avaliar o arvoredo (que resta) do jardim do Chalet Montrose e, caso entenderem, o classificarem como de interesse público.

O Parque Montrose tem cerca de meio hectare e situa-se na Rua Alegre, n.º 4, Monte-Estoril, freguesia do Estoril.

Junto em anexo uma planta militar com o local assinalado, bem como uma fotografia de satélite mostrando a existência deste “pulmão verde” no centro do Monte-Estoril.

Neste momento a maioria das árvores centenárias e de grande porte deste Parque estão a ser abatidas pelo seu proprietário, Montrose – Emprendimentos Imobiliários, Lda. (com sede na Rua Alegre, n.º 3, r/c Estoril, Tel: 214672455) para dar lugar a um condomínio de luxo com cerca de 8.000 m2.

Esse abate foi supostamente autorizado por técnicos camarários do departamento do ambiente da Câmara de Cascais, e de acordo com informações veiculadas na comunicação social, vai ser preservado o património arbóreo mais importante.

Em todo o caso, o parecer favorável da Câmara não considerou, em minha opinião, o valor histórico e ambiental do jardim no seu conjunto, o qual merece ser preservado. O Parque em questão consiste num dos últimos exemplares dos jardins românticos oitocentistas que caracterizaram a primeira fase de desenvolvimento da localidade do Monte-Estoril.


No seu artigo "Sobre a Arquitectura do Monte-Estoril, 1880-1920", a Profª Raquel Henriques da Silva descrevia a Vila Montrose da seguinte maneira: "Embora empobrecido, este chalet é o que MELHOR transmite uma vivência ambiental, enterrado num quase ninho de vegetação densa, enquadrado em ruas que são ruelas, para elas aberto através dos ângulos irregulares das velhas pedras que desenham muros comunicantes."

Aproveito a oportunidade para juntar algumas fotografias do jardim em questão e mencionar que foi neste Parque e Chalet que a Rainha D. Maria Pia primeiro ficou quando decidiu estabelecer a sua residência de verão no Monte-Estoril.

Peço novamente a vossa urgente intervenção, pois com cada
dia que passa são abatidas mais árvores centenárias.

Ficando ao vosso inteiro dispor para qualquer esclarecimento adicional, subscrevo-me com os melhores cumprimentos.

Vasco Stilwell de Andrade

4 comments:

paf said...

Meus caros,

aten�o ao que se prepara para o Parque Palmela. Ao que me dizem, h� um acordo para que o usufructo do parque se restringa aos cond�nimos do futuro Estoril-Sol...

Anonymous said...

Quê? isso seria o cúmulo. Quer dar mais pormenores?

Bom, então juntemos esse caso ao do Cruzeiro, mais o Hotel Atlântico, mais a Feira do Artesanato, mais a Malveira da Serra, mais ... qq dia nem o Bugio escapa, é o que eu acho.

Luis said...

Surrealismo
.Hoje dia 18 de Outubro pelas 16 horas tive de deslocar-me ao Hospital e fiz de carro o trajecto da Av25 de Abril (a subir em direcção ao Guincho).
O que presenciei desde que inicei a subida até aquele cruzamente para
a antiga praça de touros foi surrealista.
O tráfego em ambas as vias era muito intenso e o para arranca sucedia-se. Estão a terminar umas obras duma monstrusidade urbanistica à direita de quem sobe,
e saiam viaturas pesadas a "bufar" fumo para cima dos automobilistas parados.
Do outro lado da via num descapotável, um imbecil qualquer ouvia musica em alto volume e atrás dele uma jovem num monuvolume preto dava saltinhos ao volante embalada pela musica.
Tudo isto com o calor que se fazia sentir e fumo muito fumo das viaturas tornava a cena realmente surrealista.
.Tive mais que tempo para ver aquele condominio que estáo a terminar(não me recordo do nome), betão e mais betão com a "bela" vista, o barulho e a poluição da Av. 25 de Abril.
. Como já manifestei Cascais está a degradar-se rápidamente e uma das causas é a continuação da construção desenfreada sem haver preocupações de caracter ambiental.
. Podem os responsáveis da Camara dizer que as aprovações dos projectos estão de acordo com os diplomas A,B,C, mas que demonstram que não são amigos do ambiente lá isso demonstram.
.O legado para as gerações futuras é irreversivel e quem vai "comer" com os erros que cometem e com a degradação do ambiente serão os filhos os netos etc.
.Mais valia que pusessem a mão na consciência e em vez de argumentar que com base em decretos e diplomas se preocupassem em fazer uma gestão mais humana respeitando os cidadãos, os munícipes, os contribuintes.
Já chega

paf said...

São apenas zunzuns, mas a verdade é que corre por aí que o Parque Palmela que, segundo o projecto, "avançará" até à marginal e a sua gestão ficará sob a alçada do condomínio. Meio-caminho andado...