Friday, October 26, 2007

Património recuperado (1)



O Farol-Museu de Santa Marta, «...com projecto de arquitectura da autoria de Francisco Aires Mateus e Manuel Aires Mateus e programa museológico da responsabilidade de Joaquim Boiça, nasceu a partir do forte e farol com o mesmo nome, fruto de uma parceria entre a Câmara Municipal de Cascais e o Estado Maior da Armada Portuguesa. As obras de adaptação às novas funções tiveram início em 2006, promovendo a requalificação e conversão do Forte e Farol de Santa Marta em espaço de cultura e lazer, embora mantendo as suas funções de sinalização costeira, sob a direcção da Marinha, através da Direcção de Faróis.

O programa museológico apresenta, para além de uma panorâmica geral sobre os faróis, temáticas específicas, tais como os faróis de Portugal; o forte e o farol de Santa Marta; os faróis e as ajudas à navegação (Cascais e barra do Tejo); o ofício de faroleiro. O percurso expositivo inclui a exibição de um filme documentário “Faróis de Portugal. Cinco Séculos de História”. A cada 20 minutos se realizam visitas guiadas ao longo das são prestados todos os esclarecimentos em relação à exposição permanente.

Refira-se que a maioria das peças expostas foi restaurada e depositada pela Marinha Portuguesa/Direcção de Faróis, sendo constituída por exemplares que contribuem para uma melhor compreensão do funcionamento dos mecanismos dos faróis, entre as quais se encontra um candeeiro de duas torcidas, original de Santa Marta de 1874.

Inédito no país, o Farol-Museu oferece um espaço expositivo criado nas antigas residências dos faroleiros e que se divide em três pólos: dois núcleos expositivos e um auditório. O visitante tem ainda acesso às amplas plataformas (baterias do Forte) com vista para o mar e a espaços de recepção, centro de documentação e cafetaria.
»

A César o que é de César, e neste caso do Farol de Santa Marta, não só o projecto foi bem adaptado ao farol (e não o contrário, como costuma ser timbre por esse país ... e por Cascais), como o núcleo museológico é fabuloso e ... fica-se com pena de ser um espaço tão pequeno. Trata-se de uma belíssima intevenção, e só faltou mesmo esperar pela abertura do farol, ele próprio ainda em obras. Não custava nada adiar a abertura, mas tudo bem. Um pequeno senão: no portão de acesso, há uma parede alta que está mal colocada, quebrando o horizonte de quem entra e não consegue ver o mar. Podia ser rebaixada. No resto, impecável e bastante bonito.

Fonte: Site CMC
Fotos: Dépliant da CMC e site da Marinha

1 comment:

Pedro Partidário said...

...mas - reconhecendo sem hesitações a qualidade desta operação no Farol de Santa Marta - é preciso não esquecer que esta operação, vista no conjunto das que se apresentam como intervenções de valorização de património, são apenas um somatório de iniciativas sem objectivo estrutural definido antes... não esquecer que o PDM não foi revisto ainda e, tal como está permite a OFENSA a determinados sítios e edifícios relevantes; Planos de Identificação e Salvaguarda de Núcleos Urbanos com carácter especial deviam ser feitos e...; finalmente, os Planos de Pormenor vão sendo feitos à medida de interesses muito particulares.

... noutra vertente de observação: nas "obras" de valorização de "património", terá havido cuidado suficiente de salvaguardar o interesse do público e transparência suficiente nas contratações de serviços de projectos e empreitadas?